ARTIGOS ACADÊMICOS

Nesta seção, você encontra uma seleção de publicações acadêmicas com temáticas em torno das questões entre arte e raça. Ao clicar, redirecionamos você para os sites de origem de cada uma delas.

Tem um trabalho acadêmico sobre o tema? Envie informações para contato@projetoafro.com.

Éramos a cinza e agora somos o fogo: a estética na obra de Maxwell Alexandre

Derivaldo Andrade Junior

Universidade de São Paulo

ARTIGOS ACADÊMICOS

2019

Palavras-chave: Éramos a cinza e agora somos o fogo: a estética na obra de Maxwell Alexandre

O presente artigo discute a correlação entre conteúdo e forma dentro da arte afro-brasileira, tendo como estudo o artista Maxwell Alexandre (Rio de Janeiro, 1990). Considerando a representatividade como uma poética de afirmação presente nas obras dos artistas negros e negras, esses encontram nas artes visuais importante instrumento de reflexão social. O estudo se desenvolve a partir dos conceitos de arte afro-brasileira, analisando o caráter semântico dessa produção. Buscamos compreender a produção do artista em relação ao contexto contemporâneo em que se encontra a arte afro-brasileira e seus sujeitos. Sendo essa uma poderosa arma de força do coletivo.

Reconhecimento e Divulgação da Cultura Africana e Afro-Brasileira (Estudos Sobre o Museu Afro Brasil)

Marina Soleo Funari

Universidade de São Paulo

ARTIGOS ACADÊMICOS

2011

Palavras-chave: Diáspora, arte afro, arte afro-brasileira, cultura, candomblé, Museu Afro Brasil, Emanoel Araújo

Este trabalho tem como objetivo evidenciar a presença negra na formação do Brasil, focando, sobretudo, as artes e a cultura. Ao acompanhar os passos da diáspora africana, tenta-se entender como se deu a construção da imagem do negro na sociedade brasileira, as relações entre brancos e negros, conseqüências e formas de resistência. Quanto às artes, são apresentadas características da arte africana taxada de selvagem por não seguir os padrões estéticos europeus. No candomblé e outras religiões de matriz-afro é detectada sua importância quanto à preservação e acolhimento de um povo desterritorializado que precisou reinventar sua terra-mãe nas formações dos terreiros. Além disso, tais religiões contribuíram de forma relevante para dar ritmo, cor e beleza a manifestações artísticas brasileiras. Em tempo, é apresentado o Museu Afro Brasil que representa a voz do negro nos tempos atuais reunindo em um só espaço a história, arte e cultura de um povo que passa – após séculos de escravidão, discriminação e desigualdade – por uma reconstrução de sua auto-imagem.

A Criatividade nagô pela produção estética-cultural nas artes visuais: Mestre Didi e Dalton Paula

Alan Santos de Oliveira

Universidade Federal de Goiás

ARTIGOS ACADÊMICOS

2020

Palavras-chave: Criatividade, Nagô, Diversidade, Artes Visuais

A proposta deste trabalho é conhecer e apresentar uma das formas criativas da categoria nagô, difundida no Brasil pelo complexo das comunidades de Terreiros de Candomblé. Aqui tentaremos evidenciar que os processos criativos de alguns artistas visuais, muitas vezes, perpassam ou se originam diretamente desta tradição afro-brasileira. Neste artigo, traçamos uma proposta metodológica perceptiva e comparativa aliada a uma pesquisa bibliográfica e imagética que pode proporcionar a compreensão de formas culturais de criatividade quase sempre desconhecidas nos processos canônicos de ensino-aprendizagem. Portanto, o resultado desta pesquisa confere uma proposta de pluralidade no fazer criativo, introduzindo outras perspectivas de saberes, complexidade e conhecimento.

O Museu e a Identidade Brasileira: Museu Afro Brasil

Isabela Gatti Pereira Rodrigues

Universidade de São Paulo

ARTIGOS ACADÊMICOS

2012

Palavras-chave: Museu Afro Brasil, identidade, identidade brasileira, identidade afro, museu, expografia, Cultura negra

Este artigo propõe uma análise parcial a respeito de museus e da construção da identidade brasileira, investigando, em uma instituição museológica, propostas de rompimento com a visão eurocêntrica e colonizadora que permeia a identidade nacional. Com a leitura de Zygmunt Bauman, Darcy Ribeiro, Renato Ortiz e Aníbal Quijano, alguns conceitos como espacialidade, expografia, conteúdo e público de museus são analisados junto a uma pesquisa de campo sobre o Museu Afro Brasil. A escolha deste museu foi determinada pela especificidade de seu tema e de seu acervo em diálogo constante com sua missão: ser espaço de desvelamento da cultura negra no Brasil.

Terreiro Contemporâneo: O negro pela perspectiva do visitante do Museu Afro Brasil

Denise dos Santos Rodrigues

Universidade de São Paulo

ARTIGOS ACADÊMICOS

2015

Palavras-chave: Museus, Museu Afro Brasil, cultura afro-brasileira, perspectivas do visitante, grupo focal em museus

Este artigo se propõe a investigar se os objetivos que regem o Plano Museológico do Museu Afro Brasil estão sendo percebidos pelos visitantes, a fim de analisar a percepção desse frequentador sobre a participação do negro na formação da cultura e da sociedade brasileira. Para tanto, utilizou-se de pesquisa bibliográfica, sobretudo aquela referente aos conceitos teóricos sobre os museus e sobre a apropriação africana e afro-brasileira no espaço urbano, aliada à pesquisa qualitativa realizada através de grupo focal e observação participante, aplicados durante a visita ao museu em agosto de 2015. Por fim, na análise dos resultados, juntamente com as considerações finais, são apresentados o olhar dos visitantes diante da experiência e conhecimentos adquiridos durante a visitação, a discussão sobre a temática afro e como isso foi compreendido por eles.