Detalhe da capa da "Enciclopédia Negra", com obra de Mônica Ventura, Afra Joaquina Vieira Muniz (séc. XIX, Bahia), 2020. Foto: Divulgação

REPARAÇÃO HISTÓRICA: ENCICLOPÉDIA NEGRA REÚNE MAIS DE 500 NOMES NEGROS BRASILEIROS

por Projeto Afro

30 de março de 2021

CURTAS
Livro

Detalhe da capa da "Enciclopédia Negra", com obra de Mônica Ventura, Afra Joaquina Vieira Muniz (séc. XIX, Bahia), 2020. Foto: Divulgação

De profissionais liberais a mães que lutaram pela alforria de suas famílias, a publicação “Enciclopédia Negra” (Companhia das Letras, 2021) reúne 550 personagens negros e negras apagados pela história no país. O livro organizado pelo artista Jaime Lauriano, pelo historiador Flávio dos Santos Gomes e pela antropóloga Lilia Moritz Schwarcz revisita do período da escravidão e pós-abolição aos dias atuais, criando um arcabouço de histórias marcadas pelas suas individualidades, mas que formulam um caráter de força coletiva. Acompanhados dos verbetes, imagens produzidas por 36 artistas negros, negras e negres dão corpo e ajudam a dar voz aos diversos personagens que encontramos nas páginas do livro.

Mariana Rodrigues, Rainha Marta dos Quilombos de Iguaçu, 2020. Acrílica e giz pastel oleoso sobre tela, 80 x 50 cm. Foto: Divulgação

A insistência histórica em invisibilizar esses nomes parte de uma premissa respaldada pelo racismo estrutural. No livro de mais de 700 páginas, é possível conhecer ativistas e revolucionários dos movimentos abolicionistas; curandeiros e médicos; líderes religiosos de todas as regiões do país, muitos deles apagados pelos epistémicidios da então história recente do Brasil. Em 2019, o pesquisador Nei Lopes propôs um movimento semelhante ao lançar “Afro-Brasil reluzente: 100 personalidades notáveis do século XX” (Editora Nova Fronteira). No livro de quase 500 páginas, é possível conhecer as personalidades a partir da pesquisa que o autor começou em 2004.

Na “Enciclopédia Negra”, figuram nomes como Abdias Nascimento, Zumbi dos Palmares e Zeferina. Esta última, aliás, já foi representada pelo artista Dalton Paula em uma de suas obras que esteve presente na exposição Histórias Afro-atlânticas (2018), ingressando posteriormente para o acervo do MASP, museu que realizou a mostra junto com o Instituto Tomie Ohtake em São Paulo.

Capa da “Enciclopédia Negra”, com obra de Mônica Ventura, Afra Joaquina Vieira Muniz (séc. XIX, Bahia), 2020. Identidade visual do projeto de Oga Mendonça e projeto gráfico de Victor Burton. Foto: Divulgação

Além de Paula, artistas pouco mais conhecidos no circuito também criaram retratos inspirados pelos verbetes, como Antonio Obá, Arjan Martins, Ayrson Heráclito, Bruno Baptistelli, Castiel Vitorino Brasileiro, Daniel Lima, Desali, Igi Lola Ayedun, Juliana dos Santos, Lídia Lisboa, Marcelo D’Salete, Michel CENA7, Moisés Patrício, Mônica Ventura, Mulambö, Nádia Taquary, Panmela Castro, Rebeca Carapiá, Renata Felinto, Sonia Gomes e Tiago Sant’Ana. Seguidos de artistas mais jovens na lista, entre eles Amilton Santos, Andressa Monique, Elian Almeida, Hariel Revignet, Heloisa Hariadne, Jackeline Romio, Kerolayne Kemblim, Kika Carvalho, Mariana Rodrigues, Micaela Cyrino, Nathalia Ferreira, Oga Mendonça e Rodrigo Bueno. Jaime Lauriano também ilustra as páginas do livro. Não por acaso, o artista tem desenvolvido em sua produção artística uma pesquisa iconográfica do país que abarca desde o período da Escravidão aos tempos de Ditadura Militar.

Ayrson Heráclito, Retrato de Domingos Sodré, 2020. Aquarela sobre papel de algodão. 41,4 x 30 cm. Foto: Reprodução/Galeria Portas Vilaseca

As obras poderão ser vistas em uma exposição organizada pela Pinacoteca de São Paulo, com previsão para abertura em abril deste ano. O museu paulista tem revisitado seu acervo, incluindo artistas negros/as/es nos diversos núcleos que compõem sua coleção exibida nas salas do prédio da Luz, no centro de São Paulo. A produção dos retratos contou com o apoio do Instituto Ibirapitanga e o projeto com o apoio do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (NEAB) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Neste dia 30.03, às 19h, acontece um encontro online, com os autores e mediação de Djamila Ribeiro, no canal do YouTube da Companhia das Letras, marcando o lançamento da “Enciclopédia Negra”.

Serviço

Lançamento “Enciclopédia Negra”, Companhia das Letras, 2021

Jaime Lauriano, Flávio dos Santos Gomes e Lilia Moritz Schwarcz

Live de lançamento com os autores do livro no canal do YouTube: 30.03 às 19h

Livro já disponível para compra no site da editora

Páginas: 789

Preço:  R$ 89,90