Raiz e Patchuli, 2020, de Keila Serruya Sankofa. Fotografia, 84 x 59 cm. Foto: Divulgação

3 PROJETOS PARA ACOMPANHAR NA SP-ARTE VIEWING ROOM

por Projeto Afro

24 de agosto de 2020

CURTAS
Feiras

Raiz e Patchuli, 2020, de Keila Serruya Sankofa. Fotografia, 84 x 59 cm. Foto: Divulgação

Um dos setores que mais se reinventou durante a pandemia do novo coronavírus no mundo, a cultura e a arte têm atuado bravamente em meio à avalanche de tristes notícias referentes ao momento atual. O mercado de arte, inclusive, também inovou ao propor ações que fortalecem as duas pontas, galerias e projetos independentes e os/as/es artistas. Considerada a maior feira de arte da América Latina, a SP-Arte criou um ambiente virtual, no qual chama de SP-Arte Viewing Room, ampliando o acesso aos trabalhos artísticos, uma vez que sua versão online alcança pessoas de todas as partes, que podem visitar/navegar pela feira de forma gratuita. Entre os dias 24 e 30 de agosto, visitantes e colecionadores poderão conhecer os projetos expositivos das galerias de arte e dos coletivos e adquirir suas obras a apenas um clique.

Estreando nesta edição da feira, os coletivos 01.01 Art Platform, Hoa e Nacional Trovoa propõem um novo olhar ao mercado, levando mais diversidade às páginas digitais. Encabeçada por Ana Beatriz Almeida, artista e curadora, e Moisés Patricio, artista da semana do Projeto Afro, e pelos curadores Keyna Eleison, João Simões e Camilla Rocha Campos, 01.01 sugere uma nova maneira de adquirir arte contemporânea, com foco na produção da diáspora africana. A plataforma selecionou trabalhos de Anderson Ac, Aretha Sadick, Doidão Bahia, Dona Cici, Dona Dalva, Gabriella Marinho, Marcos da Matta, Melvin Edwards, Micaela Cyrino, Mulambö, Rafael BQueer, Raphael Cruz, Thiago Consp, Thulani Rachia e Yhuri Cruz. Participam também Beatriz Almeida e Patrício. As obras, nos mais diversos suportes, exaltam um rito de passagem “através do cultivo de saber, modos de fazer, formas de expressão e celebração”, segundo o texto curatorial.

Onira, 2015, de Ana Beatriz Almeida. Foto-performance in fine art, 70 x 100 cm. Foto: Divulgação

Fundado recentemente pela multiartista Igi Lola Ayedun, que vem desenvolvendo um trabalho interdisciplinar que abrange diversas frentes, o Hoa é uma organização artística dedicada ao fomento da arte contemporânea latino-americana. Além da participação na SP-Arte, o projeto armou uma programação paralela, com showroom no Espaço.CC, em São Paulo, debates e performances ao vivo, cursos e grupo de estudo. Os eventos podem ser acompanhados nas redes sociais do coletivo.

Para a feira, o Hoa convidou artistas emergentes e outros/as/es com mais anos de carreira, entre nomes como Ana Almeida, Caroline Ricca Lee, Castiel Vitorino Brasileiro, Clébson Francisco, Davi de Jesus do Nascimento, Dudx Eduardo Araújo Silva, Edu Silva, Estileras, Gabriel Massan, Heloisa Hariadne, Iagor Peres, Ikaro Cavalcante Occulted, Jota Mombaça, Juliana dos Santos, Kelton Campos Fausto, Laís Amaral, Lídia Lisboa, M0XC4, Musa Michelle Mattiuzzi, Pegge, Rafaella Braga, Renan Aguena e Rodrigo Almeida.

A forma que finge ser outra pessoa, não me deixa dormir sozinha com você, 2020, de Heloisa Hariadne. Pintura. Foto: Reprodução/Wallace Domingues

Mulheres artistas, curadoras e arte-educadoras não-brancas, bem como mulheres asiáticas e indígenas, transexuais e travestis integram a rede Levante Nacional Trovoa. Criado em 2017 por Ana Almeida, Ana Clara Tito, Carla Santana e Laís Amaral, o coletivo articula uma série de proposições que discutem e criticam, principalmente, a representatividade no circuito da arte, com cerca de 180 participantes e 40 articuladoras ativas. “Assim, o que pretende-se é apresentar para o mercado a diversidade de pensamentos que permeiam as produções de mulheres artistas e racializadas, apontando novas formas de leitura desses trabalhos que abordam – de uma forma ou outra, abertamente ou não – noções de gênero, identidade de gênero e raça”, explica o texto de apresentação.

Incorpóreo (Profusāo), 2018, de Mônica Ventura. Escultura, 20 x 40 cm. Foto: Divulgação

Nesta edição da SP-Arte, o coletivo apresenta trabalhos de Aline Besouro, Bárbara Milano, Bianca Leite, Carla Santana, Cyshimi, Gabriela Monteiro, Hariel Revignet, Julliana Araújo, Keila Serruya Sankofa, Mitsy Queiroz, Mônica Ventura, Raylander Mártis dos Anjos e Sheyla Ayo. Durante esta semana, as artistas ocupam as redes sociais do projeto Artistas Latinas, com uma programação também paralela à SP-Arte Viewing Room.